23 novembro, 2015

A inocência de Sophia

     Exatamente no domingo, 20 de julho de 2014,conheci uma garotinha incrível da qual me recordo todos os dias e que jamais irei me esquecer.
     Sempre fui do tipo adolescente rebelde incompreendida que ninguém se quer fazia questão de entender. Me lembro de ter sido uma criança normal,mas com alguns acontecimentos em minha vida me tornei insegura,chata e fechada para todos. Minha mãe costumava dizer que eu nem sorria,de tão amargurada que eu era (e ainda sou),e em uma tarde de domingo conheci Sophia que também era assim,e me fez pensar sobre mim e o que eu estava vivendo.Ela era o meu reflexo de tristeza só que com pouca idade e ainda com inocência.
Eu e Sophia no banheiro escondendo do Dudu e fazendo pose para a selfie.
   Era mais um aniversário normal que eu iria no prédio da minha madrinha, e logo já me agitei como de costume e corri para brincar com o Dudu (filho dela que eu costumava brincar desde que ele nasceu),mas em meio as brincadeiras, vi uma menina tímida em um canto parecendo querer brincar e então resolvi ir conversar com ela.
     Minha irmã continuou brincando com a Lara, o Dudu, o Bê (irmão do dudu) e meu irmão Thiago,enquanto eu tentava conversar com ela. Logo de cara notei que ela tinha dificuldades de comunicação e o português era meio falho,e então me revelou que na verdade morava nos EUA e que estava passando as férias com a madrinha dela aqui no Brasil. Eu achei um máximo (lógico) e disparei diversas perguntas e Sophia ficou bem animada em responder. Depois de um tempo entre brincadeiras e perguntas ela começou a desabafar um monte de coisas sobre sua vida:
     "Eu não gosto de morar lá! as pessoas são chatas e eu não tenho amigos na escola. Meus pais não ficam em casa e minha irmã mais velha é muito chata comigo." 
     Eu a carreguei no colo e ela ficou extremamente feliz enquanto ainda revelava:
    "Eu queria ser um bebê bem pequeno que nem o Bê." Eu perguntei porque e ela completou:
    "Meus pais não me carregam mais no colo,ninguém parece se importar mais comigo depois que eu comecei a crescer."
    "Ninguém tem tempo para brincar comigo mais."
     De certo isso partiu meu coração e não pude deixar de notar uma ponta de tristeza em seu olhar. Ela tinha muito de mim dentro dela e eu fiquei pensando... e se eu pudesse adotá-la e nós duas irímos morar em qualquer lugar juntas,e eu poderia dar o amor que ela queria tanto receber e eu ganharia em troca.A essa altura as pessoas perguntavam quem ela era e porque eu a estava carregando pela festa,elas pareciam meio incomodadas por eu estar dando tanta atenção a ela,coisa que ninguém alí fazia,mas eu não me importei.
     Sophia era tão contagiante e ficou tão empolgada de ter alguém pra conversar,e mal sabe ela que eu também precisava desabafar e isso é tão estranho, tipo uma adolescente de 17 anos (na época) contando seus problemas a uma criança de 9 anos que a entendia tão bem. Eu não sei,mas acho que éramos interligadas e esse dia realmente não aconteceu pelo acaso. Depois de todas as frases de frustração que ela me disse eu só queria dar a tarde que ela jamais teve na vida,e isso incluiu tanto as brincadeiras quanto as sessões de desabafos dela. O mais engraçado era a ver trocando as palavras entre as brincadeiras como "Firro" que deveria ser ferro e quando ia chamar o Dudu,a Sophia sempre se confundia e o chamava de "ela" o deixando completamente furioso (risos).
    Nós brincamos de tudo quanto é possível,desde as brincadeiras de rua até as de mesa,e no final do dia eu,ela e o Dudu fomos brincar de uma brincadeira que eu e meus amigos fazíamos na escola,que consiste em ficar de meia enquanto o outro te puxa pelo corredor para que você deslise radicalmente hahaha. No caso eu puxava os dois de uma vez,um segurando em cada uma de minhas mãos e o resultado na hora de dormir não poderia ser outro, dor nos ombros a noite toda,mas quando eu me lembrava do sorriso de ambos minha consciência se alegrava.
Dudu e Sophia descansando depois de muitas brincadeiras
     Infelizmente só a vi nesse único dia e me lembro dela ter ficado bem triste.Sophia queria que eu fosse embora com ela e até hoje fico me lembrando daquela frase cortante " Você podia ser minha mãe ou minha irmã" e eu ainda tentei pegar algum contato para que nós duas pudéssemos nos falar depois,mas infelizmente não havia nada. Ao contrário das crianças de hoje ela não era uma criança superconectada.
    Sinto falta do Dudu também,eu passava todas as férias,festas e dias que eu não tinha aula com ele e nós brincávamos até o finalzinho do dia,mas a vida tratou de separar todos nós e nunca mais vi nenhum dos dois e mesmo assim com a minha vida "adulta" de faculdade e etc,seria impossível me encontrar com eles,mas eu arrumaria um tempo na agente hoje mesmo se houvesse a possibilidade de revê-los. A saudade é mesmo marcante, e nunca houve duas crianças que me entenderam tanto quanto eles,que me faziam me esquecer dos meus problemas e lembrar que existem coisas maiores do que eu mesma e meus sentimentos egoístas.

Comente com o Facebook:

17 comentários:

  1. waaa que lindinho <3
    vc tem altas histórias cutes <3
    Espero te ver no mett de natal @3@
    http://diariodelolivlet.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Me emocionei com essa história. Parece que tem pessoas que passam pela nossa vida com um propósito né? E a Sophia foi uma dessas pessoas na sua vida, e com certeza você foi na dela.
    Obrigada por comentar no meu blog!

    http://colorful-mushrooms.blogspot.com.br/

    Beijoos ;*

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto!
    Que triste uma criança já chateada com a vida e em crise. Pode ter certeza que ela fez diferença na sua vida, e você na dela.
    Bom final de semana!

    http://jj-jovemjornalista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Cara, que lindo! Emocionante ...
    Amei o texto Jeice ♥
    Eu entendo...

    ResponderExcluir
  5. Só precisas de o procurar nos saldos... Se bem que a lefties tem um modelo lindo e super barato :D

    Que texto lindo e que palavras tão puras. Realmente nada há melhor do que uma criança que nos encha o coração em todos os aspeto :D

    NEW Personal POST | (I Have) Anorexia Nervosa
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderExcluir
  6. Awn é uma pena isso, já conversei com uma criança no hotel que eu estava e ela falou a mesma coisa. Detalhe: ela desceu pra tomar café sozinha e eu chamei para que ela sentasse comigo. A educação de lá é totalmente diferente.

    Beijos Amora
    Amoras com Classe

    ResponderExcluir
  7. Se eu te contasse que existem tantas Sophias nesse mundo, e as vezes tão perto da gente.... Eu também fico super triste com essas situações, mas tenho fé que um dia eu também possa fazer a diferença na vida de uma criança assim!
    Beijinhos, lindo texto!
    Livros, Amor e Mais

    ResponderExcluir
  8. Fiquei cheia de lágrimas nos olhos, por que de certa forma me vi na Sophia quando eu era criança até hoje. Felizmente aos poucos consigo lidar melhor com as coisas, mas imagine essa menina novinha? Achei maravilhosa sua atitude e lindo o fato de você desabafar e ouvir, compartilhando sentimentos tão pessoais. <3 Tenho certeza que ela sempre vai lembrar de você <3

    Blog: Like The Moon
    FanPage do blog

    ResponderExcluir
  9. Owwwn gente que linda que ela é e que belo texto, mas calmaaaaa que o destino vai se encarregar de trazer ela novamente.

    Seguindo seu blog, beijoos.

    http://www.caprichadissimas.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Belíssimas palavras, pena que você não teve oportunidade de vê-los novamente, mas quem sabe um dia não é?

    http://confissoesdeumaaprendiz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Que linda história! Amei o texto.

    Beijos ♥

    Jéssica || Fashion Jacket
    www.fashionjacket.com.br

    ResponderExcluir
  12. Nossa que texto lindo, muito emocionante!! Que pena que você não teve mais contato com ela, muito triste crianças que passam por situações assim, que se sentem rejeitadas , por suas próprias famílias!

    beijos

    http://www.onlyinspirations.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Que história linda. Emoção do dia. <3

    http://glamourosasderosa.com/

    ResponderExcluir
  14. Que história linda e triste ao mesmo tempo... Que pena você perder contato com ela :/
    Sabe eu também tenho uma grande conexão com as crianças, mesmo tendo 24 anos adoro brincar e me divertir com elas, me sinto tão bem perto delas...
    Espero que a Sophia o Dudu também lembrem sempre de você com muito carinho.
    Adorei a música da Avril no final!

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Que amor esse texto!
    Você fez um bem enorme para essa menina, ela ganhou atenção, carinho e uma irmã que ela nunca teve.
    Fiquei triste de vocês não terem mais contato. :(

    Beijo,
    http://www.rabisqueimeuhorizonte.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Que história emocionante e que amor!
    Acho que devemos sempre tentar fazer um pouco de diferença assim na vida das pessoas, sejm adultos ou crianças. Levar o amor a todos, acho que essa deveria ser nossa maior missão aqui nesse mundão. Tenho certeza que se todos tivessem atitudes lindas assim como a sua teriamos um muito melhor com mais paz e menos guerras!
    Tenho certeza que essas crianças irão se lembrar sempre de você e espero do fundo do meu coração que um dia vocês possam se reencontrar!

    Beijinhos :)
    Bru Santos ❤
    www.queseame.com

    ResponderExcluir
  17. Vcs duas se conectaram mesmo! Espero que você volte a vê-los logo!!!
    Bjs

    http://achadosdamila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo