01 maio, 2016

Party Monster!!!

   Eu estava planejando ir naquele evento há quase um mês e eu já havia perdido outros dois,porque ninguém quis ir comigo. E já estava tudo certo,até não ter ninguém novamente para ir nesse também. Eu fui atrás até daqueles amigos que nem sabem mais que eu existo,e mesmo assim ninguém quis ir mesmo.
   Mas do que se tratava? Simplesmente de um evento que iria tocar todas as músicas da era Emo,e isso significava que, as bandas que marcaram minha vida iriam trazer a Wendy de volta (meu alter ego dos 13 aos 15 anos). Aquela garotinha solitária de auto estima baixíssima poderia estar feliz novamente em um evento que ela sempre sonhou e não teve a oportunidade de ir antes. Mas é claro que ninguém se importa! Ninguém ao menos sabe o quanto seria importante para mim,afinal as pessoas não me conhece bem o bastante,já que a única coisa que fazem é me excluir e fingir que sou invisível.
   Mas eu estava decidida a sair de casa naquela noite,então vesti meu uniforme emo dark trevosa e fui,com direito a camisa xadrez e tudo! E resumindo me fodi (mas é claro,caso contrário não seria eu!). Cheguei na porta e havia duas filas de virar o quarteirão,e era obvio que não ia caber toda aquela gente na casa de shows,só que a antissocial aqui conseguiu fazer amizade com duas meninas muito loucas (literalmente),que arrumou lugar pra gente bem lá na frente da fila,e eu bem que gostaria de dizer que deu tudo certo,mas...não deu! Na hora que liberaram a fila para quem não tinha comprado ingresso adiantado,as duas meninas se espremeram até entrar e eu acabei desistindo,e saindo do empurra empurra junto com uns meninos que tinham a franja maior do que a minha.
  Bem...como eu disse eu estava disposta a sair de casa naquela noite e sorte a minha que eu havia visto outro evento que ia rolar no Royalty Club,e eis que 1 hora da manhã eu fui até lá andando pelas ruas sombrias da madrugada,como uma darkness comum faz. Entrei e já me deparei com Funk! e queria estar viva,(porque morta eu já estava!). Na descrição do evento dizia que iria tocar pop,hip hop e etc,mas estava tocando funk e tudo que eu queria era que a música acabasse logo aff. " Foi para isso que saí de casa?" - Pensei.
  Por fim tocou muitas musiquinhas legais e tudo que eu sei é que a garotinha que eu fui na infância teria amado,porque tocou todas as músicas que ela ouvia. Tocou Jennifer Lopez com "Get Right",Justin Timberlake com "Sexy Back" (que inclusive ele foi um dos meus primeiros crushs da vida),e para lacrar ainda mais tocou muito Beyoncé com "Crazy in Love" e teve até direito a desfiladas no meio da balada. Também tocou Destiny's Child com "Lose my Breath" na batalha de dança,e depois tocou "Say my name". Não foi um revival da Wendy,mas foi o da Freak Monster J. da infância.
   Eu me matei de dançar,mesmo não curtindo tanto as músicas quanto eu curtia na infância,mas eu havia pagado 30 reais para estar ali e não ia desperdiçar,afinal dinheiro para mim está meio difícil ultimante,e nem a faculdade eu estou pagando mais.
    A maioria lá era gay (obvious!),mas um deles era muito lindo e veio dançar comigo umas duas vezes e na despedida me deu um beijo na bochecha em agradecimento e eu fiquei,tipo...OMG! Não sei quando vou parar de gostar de caras gays ou afeminados (lê-se andróginos),mesmo sabendo que não é possível ter um relacionamento com eles.  ¯\_(ツ)_/¯
  Dei uma de intrusa e fui dançar com duas meninas que praticamente nem notaram minha presença,(afinal não sou ninguém mesmo). Depois avistei um cara cheio de colares estilo Beyoncé em "Formation",e ele estava com um menino andrógino bafônico,e assim que eu cheguei em casa adicionei e descobri que ele está terminando o curso de moda e é gay. Juro que meu coração doeu com a descoberta,mas aí eu me lembrei que eu não tenho um hahahah (I'm fuckin aquarius bitch!).
    No final das contas não consegui me socializar com eles e voltei pro meio da pista para dançar com as duas meninas que ainda não estavam notando minha jogada intrusa e frustrada de socializar...
  E depois fui dançar com as drags,e inclusive foi a primeira vez que vi drags de perto e elas eram maravilhosas! Vocês tinham que ver uma delas arrasando na coreô de "Formation",e eu sendo uma minhoca desastrada tentando dançar do lado dela,afinal eu sou uma Kim Chi na dança da vida.
   4 horas da manhã minhas costas já estavam doendo,afinal tenho 19 anos,mas pareço ter 50 sem praticar nenhum exercício físico. Com isso fui me jogar num canto alone pensando na vida e em como eu era antissocial e não tinha ninguém. Eis que um dos fotógrafos da balada me puxou de volta para a pista com a seguinte frase: "Seu lugar é brilhando na pista gataaa...",então joguei purpurinas na cara da tristeza e voltei a dançar.
   Quando finalmente acabou,eu fui embora com o dia já amanhecendo,e na real...eu estava acabada! Fisicamente,e ainda mais emocionalmente,porque o tempo todo o mesmo pensamento martelava na minha cabeça: "Você tem amigos e nenhum deles quis vir com você,mas quando eles querem você sempre vai.","Como todo mundo pôde me deixar tão sozinha de novo?" . Se eu não estivesse  acostumada com a solidão eu poderia ter morrido ali mesmo.
    Mas o bom disso tudo,foi que voltei super inspirada para casa ouvindo David Bowie nos meus fones e orgulhosa de mim mesma por ter encarado a vida sozinha,afinal só eu queria aquilo e mais ninguém. Às vezes o seu melhor companheiro é você mesmo,e por mais que tenha sido doloroso para mim processar tudo isso,eu meio que estou me libertando. Talvez seja isso o significado de não depender de ninguém e finalmente ser livre,e acima de tudo arrasando na coreografia de "Single Ladies" da Beyoncé e "Need me" da Rihanna,mesmo que seja sozinha monaaaaa.
   E para comprovar ainda mais que sou insignificante,acabei aparecendo tampada em todas as fotos do evento,mas é claro!
   E a conclusão final de tudo isso...
Beijos de luz pra quem é tão solitário quanto eu!

Comente com o Facebook:

7 comentários:

  1. Eu vivo saindo sozinha, mas sabe que já me acostumei a solidão, na verdade eu gosto de momentos sozinha. Se eu te disser que te tenho apenas uma unica amiga que nós não nos vem todos os dias por causa dessa rotina da vida de adulto. Pesa né.
    Enfim, somos parceiras também tenho grandes tombos por homens andróginos.
    Bj

    ResponderExcluir
  2. Oi Jeice,
    Vamos melhorar essa autoestima? Como assim insignificante? Você é ser humano e tenho certeza que você significa na vida de alguém. A gente muda com o passar do tempo e os gostos não são mais os mesmos. Faça essa reforma interior e verá como as coisas vão mudar e você vai passar enxergar melhor a vida.
    Ninguém é um patinho feio, você tem seu valor e vai encontrar amigos. Não se isole. Procure pessoas que gostam de fazer as mesmas coisas que você.
    Veja pelo lado positivo: você saiu e se divertiu, apesar das coisas não saírem do jeito que você queria.
    Boa sorte!
    Big beijos
    Lulu on the sky

    ResponderExcluir
  3. OI JEICEEEEEEEE

    Sim... já perdi as contas de quantas vezes sai forever alone. Eu nunca me joguei em festa forever alone, na realidade (nesse aspecto ce é mais corajosa que eu), mas creio que não falta muito pra isso ocorrer! HAHAHAHA

    vamo se unir, migs, eu e você e vamo bater cabelo por ai!


    P.S.: QUE GIF LINDO DA ADORE É ESSEEEEEEEEE?
    P.S.2.: Amei saber que você tinha um alter ego!

    BEIJO
    beinghellz.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha vamos sim miga!
      A Adore é simplesmente perfeita ♥
      Eu tive vários alter ego e até hoje tenho hahahaha

      Excluir
  4. Sei bem como é esse lance de se sentir só, mas que bom que você se divertiu!
    Boa semana.

    http://jj-jovemjornalista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu entendo o que você sente. Só esse ano já perdi 3 idas ao estádio de futebol e 2 show DE GRAÇA porque não tinha ninguem pra ir comigo. Agora eu decidi que quando eu quiser ir em alguma coisa, vou mesmo que seja só e é isso ae.
    OBS: Me identifiquei com a parte que você fala que tem 19 com "corpinho de 50". A unica diferença é que eu tenho 20 hueheuhueh

    http://livrosamoremais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Quando eu tinha uns 17, 18 anos eu dava role com uma galera daqui de São Caetano (Alguns até devem ter fotos nas retrospectivas do meu blog, mas são pessoas que já não falo mais) e aqui só tem role de sexta que acaba cedo. Aí de sabado era sempre "vamos pra São Paulo, vamos pra Augusta" e adivinha? Nunca, inclusive as unicas vezes que fui com eles foi uma bosta, a maioria das vezes em que me diverti foi quando fui com pessoas que já frequentavam esses lugares, ou que eu conheci na hora. Já tive roles que fiquei sem fazer nada, sem conhecer ninguém legal, e teve roles que aconteceram coisas muito loucas. Só não conto essas histórias no blog porque já fiz umas coisas que não dá pra falar assim kkkk Mas é assim querida, tem role que sim e role que não, mas o unico jeito de saber é sair e tentar, se seus amigos quiserem ir, que te acompanhem, se não, foda-se eles, uma hora você encontra as pessoas certas, sejam elas temporárias ou não.

    Bites!
    Tary Belmont

    ResponderExcluir

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo